quinta-feira, 29 de março de 2018

Semana da Leitura na Boa Hora






Continuam a chegar (boas) notícias sobre a Semana da Leitura no Agrupamento. Esta veio da Boa Hora.



5-9 de março

Semana da leitura
“Liberta o leitor que há em ti”

Durante esta semana tentámos que os nossos olhos fossem a porta do leitor que há em nós.
Convidámos os alunos a visitarem a biblioteca, a escolherem uma obra e a recontá-la aos colegas.
Ouvimos histórias recontadas pelos olhares dos nossos alunos.
Texto e fotos: Margarida Frade (prof. da equipa das bibliotecas do agrupamento)

1

2

3

4

5

6

7



quinta-feira, 22 de março de 2018

Obras para a fase intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura + Concurso Intermunicipal de Leitura

Já estão definidas as OBRAS PARA A FASE INTERMUNICIPAL - A REALIZAR EM ÁGUEDA.

No entanto, antes de lá chegarmos, teremos pela frente a fase municipal, que se realiza no dia 17 de abril, na Biblioteca Municipal de Vagos, e irá apurar os que chegarão à cidade do Águeda.


1.º CEB
“Um salto de gafanhoto”,
de Margarida Fonseca Santos:





2.º CEB
“Histórias que me contaste tu”,
de Manuel António Pina:




3.º CEB
“O rapaz do caixote de madeira”,
de Leon Leyson:













ES
“O menino de Cabul”,
de Khaled Hosseini:

Wook.pt - O Menino de Cabul

Óvulos e ovais e outros que tais

Nova exposição no corredor das artes.
Geometria Plana
Linhas Concordantes
Óvulos e Ovais
Educação Visual
8.º ano
«Óh, isto são amêndoas!» - disse a Amélia ao passar.





Histórias com Ciência - Novas Pinturas

Depois da sessão Histórias com Ciência, no C3, A turma do J.I. de Calvão lançou mãos à obra e pintou um dos momentos da história do Livro Com Cheiro a Chocolate.











quarta-feira, 21 de março de 2018

Dia da árvore - 21 de março


Um abraço a todas as árvores da Terra


terça-feira, 20 de março de 2018

Dia mundial da poesia - 21 de março


Prémio Escolar AEPC 2018

Prémio Escolar AEPC 2018

(ANO EUROPEU DO PATRIMÓNIO CULTURAL)

No âmbito da celebração do Ano Europeu do Património Cultural, foi criado o Prémio Escolar AEPC 2018.
Destina-se ao 3º Ciclo do Ensino Básico e ao Ensino Secundário e propõe aos docentes que realizem com os seus alunos atividades pedagógicas de pesquisa, seleção e análise de aspetos do Património Cultural Europeu (material ou imaterial).


 

Objetivo

O prémio visa promover o conhecimento do património cultural europeu nas suas múltiplas dimensões e mutações, dinamizando iniciativas que garantam a sua sustentabilidade e proteção, assim como o diálogo entre diferentes realidades culturais.

Destinatários

Este prémio destina-se a estabelecimentos escolares, públicos e privados, com 3º Ciclo do Ensino Básico e, ou com Ensino Secundário e Profissional.
Nota: Os trabalhos candidatos deverão ser submetidos por docentes. Cada docente poderá submeter um ou vários trabalhos coletivos, de turma, de grupo ou individuais.

Trabalhos a realizar

O prémio propõe aos docentes do 3º Ciclo do Ensino Básico e dos Ensinos Secundário e Profissional que realizem com os seus alunos atividades pedagógicas de pesquisa, seleção e análise de vertentes/aspetos do Património Cultural Europeu (material ou imaterial) que os levem a produzir duas apresentações em formato digital:
  • Uma apresentação de vertentes/aspetos do património cultural da sua comunidade local ou do património cultural português;
  • Uma apresentação de vertentes/aspetos do património cultural europeu.
As apresentações deverão destacar as características mais relevantes dos aspetos /vertentes escolhidos e o seu valor enquanto herança cultural. Poderão ainda enunciar medidas ou comportamentos dos cidadãos que possam proteger, valorizar ou desenvolver os domínios focados no trabalho.
Os conteúdos deverão ser apresentados num ou em vários dos seguintes formatos: texto, vídeo, áudio, fotografia, ilustração e infografia, elaborados pelos concorrentes ou selecionadas em fontes expressamente citadas.
CONTINUA A LER AQUI

Ano Europeu do Património Cultural - 2018

segunda-feira, 19 de março de 2018

19 de março

Dia do Pai



Histórias com Ciência no C3

O projeto HISTÓRIAS COM CIÊNCIA levou todas as crianças dos JIs do concelho ao C3 - Centro de Cultura e Ciência.
Os petizes do JI de Cabecinhas também lá foram, claro.
Para fazer o quê - perguntam vocês.
Ora, para ouvirem  uma história do Livro com Cheiro a Chocolate, contada pelo professor Euclides, e para fazerem experiências com chocolates no Laboratório Secreto do professor Leonel.

Quando voltaram à escolinha, toca a dar novas forMAS e cores à história ouvida. Eis as provas documentais dessa missão:







sexta-feira, 16 de março de 2018

Os Livros para a fase Municipal do CIL e do CNL 2018

Os LIVROS para a fase MUNICIPAL do CNL e do CIL:



1.º CICLO - 4.º ANO

O Velho e os Pássaros,
de António Mota





2.º CICLO

A Menina do Mar,
de Sophia de Mello Breyner Breyner Andresen
A Menina do Mar




3.º CICLO

O Caderno do Avô Heinrich,





E. SECUNDÁRIO
Sem necessidade de prestar provas.

Passa automaticamente à fase seguinte, por não haver outros concorrentes

quinta-feira, 15 de março de 2018

terça-feira, 13 de março de 2018

Miúdos a Votos 2018

O
8ºA
está a participar na iniciativa
Miúdos a Votos. Quais os Livros + Fixes? 

Os livros que eles escolheram para promover:


C.2 - Avozinha Gângster, de David Walliams 
Wook.pt - Avozinha Gângster


C.22 - O Rapaz do Pijama às Riscasde John Boyne 
Wook.pt - O Rapaz do Pijama às Riscas
C.23 - O Recruta, de Robert Muchamore 
Wook.pt - O Recruta 

A professora Amélia Ferreira (Português) e a Biblioteca coordenam esta participação.

Mais sobre a iniciativa:
RBE Aqui.
Regulamento Aqui

O Dia Internacional do Livro Infantil 2018 aproxima-se

No dia 2 de abril comemora-se em todo o mundo o nascimento de
Hans Christian Andersen
A partir de 1967, este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantilchamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância.


Cartaz do Dia Internacional do Livro Infantil 2018, da autoria da ilustradora Fátima Afonso

A mensagem do IBBY internacional, este ano da responsabilidade da Letónia, consta de um texto da escritora INESE ZANDERE, e de um cartaz do ilustrador Reinis Petersons - Ver abaixo:
Cartaz do Dia Internacional do Livro Infantil 2018, do ilustrador Reinis Petersons. 



O pequeno torna-se grande num livro

As pessoas inclinam-se para o ritmo e para o equilíbrio, tal como a energia magnética organiza as aparas de metal numa experiência da física, tal como um floco de neve forma cristais a partir da água.

Num conto de fadas ou num poema, as crianças gostam de repetição, de refrãos e de temas universais, porque eles podem ser reconhecidos uma e outra vez – trazem ao texto regularidade. O mundo ganha uma ordem bonita. Ainda me lembro como, em criança, lutava comigo mesma para defender a justiça e a simetria, pela igualdade de direitos da esquerda e da direita: se tamborilava com os dedos em cima da mesa, contava quantas vezes tinha de bater com cada dedo, para que os outros não se sentissem ofendidos. E quando aplaudia, batia com a mão direita na esquerda, mas depois pensava que não era justo e aprendi a fazê-lo de maneira contrária – batendo com a esquerda na direita. Este desejo instintivo de equilíbrio parece engraçado, é certo, mas mostra a necessidade de evitar que o mundo se torne assimétrico. E eu tinha a sensação de ser a única responsável por todo o seu equilíbrio.

A inclinação das crianças por poemas e por histórias surge igualmente da sua necessidade de levar harmonia ao caos do mundo. Da indeterminação, tudo tende para a ordem. As canções infantis, as canções populares, os jogos, os contos de fadas, a poesia – são formas de existência ritmicamente organizadas que ajudam os mais pequenos a estruturar a sua presença no grande caos. Criam a consciência instintiva de que a ordem do mundo é possível, e que as pessoas têm nele um lugar único. Tudo conduz para este objetivo: a organização rítmica do texto, as linhas com letras e o design da página, a impressão do livro como um todo bem estruturado. O grande revela-se no pequeno, e damos-lhe forma nos livros infantis, mesmo quando não estamos a pensar em Deus ou na dimensão fractal. Um livro infantil é uma força milagrosa que favorece o enorme desejo das crianças e a sua capacidade de ser. Promove a sua coragem de viver.

Num livro, o pequeno é sempre grande, de forma instantânea e não apenas quando se chega à idade adulta. Um livro é um mistério onde se pode encontrar algo que não se procurava ou que não estava ao nosso alcance. Aquilo que os leitores de uma certa idade não conseguem compreender, permanece na sua consciência como uma impressão, e continua a atuar mesmo quando não o compreendem totalmente. Um livro ilustrado pode funcionar como uma arca do tesouro de sabedoria e cultura mesmo para os adultos, da mesma forma que as crianças podem ler um livro para adultos e encontrar nele a sua própria história, um indício para as suas jovens vidas. O contexto cultural molda as pessoas, estabelecendo as bases para as impressões que se farão sentir no futuro, assim como para experiências mais difíceis, às quais terão de sobreviver sem por isso terem de deixar de ser íntegras.
Um livro infantil representa o respeito pela grandeza do pequeno. Representa um mundo que se cria de novo uma e outra vez, uma seriedade lúdica e preciosa, sem a qual tudo, incluindo a literatura para crianças, seria apenas um trabalho pesado e vazio.

INESE ZANDERE, nascida na Letónia em 1958, é poeta e uma das maiores escritoras de livros para a infância do seu país.

Tradução: Maria Carlos Loureiro, feita a partir da versão francesa e espanhola.

***

FONTES - Toda a informação foi extraída e/ou adaptada a partir de:





segunda-feira, 12 de março de 2018

Semana da Leitura II

Leitores e Cineastas

Ler um livro e apresentá-lo perante uma câmara de vídeo.
Uma atividade levada a cabo pelos alunos do 12.º ano, na disciplina de Português, com a Professora Carmo Carvalho.



Semana da Leitura I

A ver filmes nascidos de livros.
Alunos do 8º ano da professora Amélia Ferreira



Semana da leitura na EB de Quintã