terça-feira, 28 de abril de 2015

HÁ 160 ANOS NASCIA O PINTOR JOSÉ MALHOA

JOSÉ Vital Branco MALHOA, nasceu nas Caldas da Rainha a 28 de abril de 1855.
Pintor e desenhista romanesco do país rural e real, intérprete de costumes populares, José Malhoa é uma figura de referência na pintura portuguesa.


Foi estudar para Lisboa aos 8 anos e aos 12 entrou na Real Academia de Belas Artes de Lisboa. Pioneiro do naturalismo em Portugal, José Malhoa, funda com Rafael Bordalo Pinheiro e com Silva Porto, em 1880, o Grupo de Leão (artistas que se reuniam na Cervejaria Leão de Ouro em Lisboa).
Trata-se de uma tertúlia de jovens artistas e cuja "filosofia" é pintar ao ar livre e sobretudo no campo.

As padeiras (1898)

Considerado o mais português dos pintores, Mestre Malhoa retrata nos seus quadros os costumes e tradições simples do povo, tal qual as via e sentia.

Embraçar cebolas (1896)

Este apego à terra que pinta em paisagens transbordantes de luz e cor, é também a celebração das suas origens humildes de filho de lavradores.

 A sesta (1909)

O "Fado", "A Procissão" ou "As Vindimas" são alguns exemplos da sua importante e vasta obra.

Estudo para a pintura "O Fado"

Estudo para a pintura "O Fado"

O Fado (1910)

Malhoa, foi pintor de paisagens, cenas de género ou de costumes, retratos e nus. 

O atelier do artista (1893)

Raramente pintou a paisagem pela paisagem. Além do retrato das gentes do povo que figuram nos quadros de género, pintou inúmeros retratos da aristocracia. 


O "Retrato de Laura Sauvinet" (Museu de José Malhoa), uma sua aluna, realizado em 1888, foi por ele considerado a sua obra-prima.
Ainda nos anos 80, instalou em Figueiró dos Vinhos, aquilo a que ele chamou "O Casulo", uma segunda residência onde pintou a grande parte das cenas rurais.

"O casulo de Malhoa" da autoria de Barata Moura

"Aqui escolheu construir a sua casa chamada "Casulo" pequenina mas muito castiça, tipo chalet de cor tijolo que ele próprio pintou com flores tipo vitorianas à volta da cimalha da sala,(pétalas em tons rosa pálido), tendo como modelo as frondosas camélias do jardim Bissaya Barreto. Igualmente esculpiu magnificamente em madeira um lambril delicioso no pormenor do traço e intenso de altura."

E é também em Figueiró dos Vinhos que virá a falecer a 26 de outubro de 1933.

Sem comentários: