sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

"O BEIJO" (1907 / 1908) de Gustav KLIMT


Que melhor momento, senão a aproximação ao "Dia dos namorados", para falar deste quadro, "O Beijo", do pintor austríaco Klimt, que mistura o Simbolismo com a Art Nouveau.
Esta obra-prima é uma festa reluzente de erotismo e beleza. 
O quadro tem um brilho sensual do mozaico bizantino. Um homem, envolvido num manto dourado e ricamente trabalhado, inclina-se para beijar uma mulher que está de joelhos. Dos dois, vemos apenas os rostos e as mãos, além dos pés flexionados da mulher. Tudo o resto é uma opulenta cascata de ouro ricamente encrostada com ametistas, safiras, rubis, opalas e esmeraldas. Por baixo deles estende-se um leito de pétalas.
As flores e os arbustos que formam uma cama na pintura, são os únicos elementos que parecem ligar estes apaixonados ao mundo real. O próprio Klimt cultivava flores e plantas, usando-as constantemente como elemento nas suas obras. As plantas douradas do quadro, que contornam os pés da mulher, são conhecidas como ervas de Parnaso, um antigo símbolo da fertilidade. 
Outro elemento recorrente nas obras de Klimt, são as ruivas. Alguns críticos de arte, afirmam que o casal são o próprio Klimt e a sua musa, Emilie Floge.
Este quadro encontra-se na Galeria Belvedere de Viena, na Áustria.


Sem comentários: