terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

4 de fevereiro - Almeida Garrett nasceu há 216 anos



João Baptista da Silva Leitão, mais conhecido por Almeida Garrett, nasceu a 4 de fevereiro, numa casa da velha zona ribeirinha do Porto. Foi escritor e dramaturgo romântico, ministro e secretário de estado, entre muitas outras atividades exercidas, tais como impulsionador do teatro.
Filho de uma família burguesa, repartiu a sua infância pela Quinta do Castelo e a do Sardão, ambas ao sul do Douro, concelho de Gaia. Antes que as tropas de Soult entrassem no Porto, parte para os Açores onde, na Ilha Terceira, passa parte da sua adolescência.
A partir de 1816, matricula-se na universidade de Coimbra, onde lê os primeiros românticos. Dois anos depois começa então a fazer uso dos apelidos Almeida Garrett. Jovem bacharel e liberal maçónico, participa na revolução vintista como poeta e dramaturgo mas também como dirigente estudantil e orador, por entre atividades clandestinas. É preso em Lisboa e parte exilado para Inglaterra.
Entre 1824 e 1826 passa várias vezes por Londres e Paris, muitas vezes desempregado e sem recursos. Contacta então com a literatura romântica (Byron, Lamartine, Victor Hugo, Schlegel, Walter Scott, Mme Stael) e redescobre Shakespeare. Só regressa a Portugal depois da morte de D. João VI. Com a entrada de D. Miguel volta a exilar-se e vive à míngua.
Em 1832 regressa à Ilha Terceira, incorpora-se no exército liberal e participa no desembarque em Mindelo. Escreve, durante o cerco do Porto, o romance "Arco de Santana". Dois anos depois vai para Bruxelas, numa espécie de terceiro exílio, onde contacta com a língua e literatura alemãs (Herder, Schiller e Goethe). Em 1836, regressa a Lisboa entrega-se ao teatro e é aqui que escreve, entre muitas obras, "Frei Luís de Sousa". Dez anos depois escreve "Viagens na Minha Terra". Em 1953, escreve "Folhas Caídas", recebido com algum escândalo por acharem que a obra mantinha ecos de paixão pela Viscondessa da Luz.
Morre vítima de cancro generalizado com origem hepática, em Lisboa, a 9 de dezembro de 1854.



Sem comentários: