sábado, 12 de abril de 2014

Entrevista à escritora “Flor Campino”

Por Elisabete Cardoso e turma do 4º ano de Ponte de Vagos

  
No dia dois de Abril de 2014, dia Internacional do Livro Infantil, veio à Escola Básica de Ponte de Vagos a escritora “Flor Campino”. Durante a manhã deste dia, estivemos à conversa com esta senhora que nos proporcionou um excelente dia. De seguida, apresentamos as perguntas e respostas efetuadas.


Flor Campino na EB de Ponte de Vagos


1-Há quantos anos começou a escrever livros?
A partir de 2000, quando me reformei.

2-Como surgiu a ideia de ser escritora?
São coisas que acontecem na vida. Foi um “acidente”, não foi nada planeado.

3-Onde se inspira para escrever livros?
A história “Cabra- Cabrita” foi a partir da turma que tinha na altura. A outra, “A Menina do Búzio”, tem uma história engraçada. Eu ia no metro e vi uma mancha. A partir desta mancha, imaginei logo um búzio e uma menina dentro dele. Decidi apontar no meu bloco de notas e criar uma história. O meu chão também é ótimo para me fazer imaginar histórias. Ele é feito de ardósia e nele imagino objetos e crio histórias.

4-Está a escrever algum livro neste momento? Qual?
Neste momento, estou a concluir uma obra muito bonita chamada “Gil e a Fantasminha”. Vocês vão adorar…

5-Qual foi o livro que teve maior sucesso?
Francamente não sei. Penso que foi a “Cabra-Cabrita”.

6-O seu maior sonho foi ser escritora ou já teve outro sonho?
Como já disse, esta ideia de ser escritora é recente, surgiu por acaso. Também gostava muito de ser pintora.

7- Quanto tempo demora a escrever um livro?
Não sei precisar, mas alguns meses.

8- Para além de escritora, tem outra profissão?
Fui professora, em Paris.

9-Se a senhora escreve o texto e há também um ilustrador diferente nas suas obras, como fazem essa articulação texto/imagem?
O ilustrador faz os desenhos a partir da obra. Depois, eu peço ao ilustrador para corrigir algumas coisas e ele aceita.

10-Com quantas editoras já trabalhou ou só trabalha com uma?
Só trabalho com a editora “Afrontamento”.

11- Na obra “O ano do Urso”, relativamente às personagens Laura e Ema, elas são personagens fictícias ou apoiou-se em pessoas concretas? 
As duas coisas. Por exemplo, o dono da cabra, em “A Cabra-Cabrita” é um amigo meu. A casa em “A Menina do Búzio” foi uma casa que eu vi nas dunas. A Maria Castanheira era a minha primeira empregada de casa.

12-Em relação à obra “Cabra-Cabrita”, apoiou-se noutra história? Se sim, qual?
Sim, estava a contar a história aos meus alunos “A Cabra-Cabrês” e assim surgiu outra. Também há outra história semelhante francesa.

13-Quando o caçador apareceu, por que razão não matou o lobo uma vez que ele era tão mau?
Por acaso também hesitei, mas acabei por não matá-lo. Todos devem saber que existe um lobo, com determinadas características e têm que se defender dele. Não temos necessariamente de matar os animais mais perigosos.


É sempre diferente falar com alguém habituado a escrever lindas histórias que nos fazem sonhar, reviver situações, viajar por esse mundo fora, sem sair do lugar.


Sem comentários: