terça-feira, 18 de junho de 2013

BiblioFolha3




quinta-feira, 13 de junho de 2013

Dia Mundial do Ambiente - 5 de junho


«A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas.»
Johann Goethe
 
Os recursos naturais são finitos. Se não reciclarmos tudo o que utilizamos, se não pouparmos o uso dos mesmos, consumindo o estritamente necessário, haverá problemas de falta de produtos no mercado, aumento da poluição ambiental e aquecimento global. Os resultados serão catastróficos para todos os seres vivos.
Reciclar significa transformar objetos e materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade surge a partir do momento em que o ser humano tem consciência dos benefícios que este procedimento trás ao nosso planeta.
Ao reutilizarmos, para além de preservarmos o meio ambiente, contribuímos para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão a reciclar materiais como forma de reduzir os custos de produção.

Toma nota:

Reciclar é vital para a sobrevivência do planeta Terra.
Preservar é um dever de todos nós.
Preservar o que é nosso.

Preservar o planeta é preservar a vida.

Ama a vida, respeita o planeta, faz parte do meio ambiente.

Protege as nossas florestas e matas. Não deixes que poluam os nossos rios e lagos!
Fonte de vida, progresso e inovação.

A terra é o lar comum a todos. Cuidar e lutar por ela é tarefa de cada um de nós.
Reutiliza, recicla e reduz o lixo!

Pratica o verde.
Fazes parte do meio ambiente e ele faz parte de ti.

Cultivar um mundo sustentável para nós e as gerações futuras é o nosso compromisso.
Sustentar

Proteger
Suprir

Reduzir
Reciclar

Melhorar
Preservar

Muito além destas atitudes, o nosso compromisso é garantir o futuro.
Ambiente limpo não é o que mais se limpa, mas sim o que menos se suja.

Reciclar, reutilizar, reduzir, repensar e respeitar.


Deixamos aqui um poema de José Jorge Letria:

O Dia do Ambiente
( 5 de Junho)

Lembremo-nos de S. Francisco,
o que nasceu em Assis
e falava com as águas,
com as árvores e com os bichos,
sentindo-se assim feliz
por respeitar todas as coisas
que eram a sua raiz.
E o homem poluidor
do nosso tempo moderno,
destruindo o ambiente,
além de não ser eterno,
acaba sempre por fazer,
mesmo sem o querer,
da nossa vida um inferno.

 José Jorge Letria
(in O livro dos Dias)

As fotografias registam o que realizámos para relembrar este dia.





Dia da Europa - 9 de maio


O que se celebra no Dia da Europa?

Quando, em 9 de maio de 1950, propôs à República Federal da Alemanha e aos outros países europeus que quisessem associar-se à criação de uma comunidade de interesses pacíficos, Robert Schuman realizou um ato histórico. Ao estender a mão aos adversários da véspera, não só apagava os rancores da guerra e o peso do passado como desencadeava um processo totalmente novo na ordem das relações internacionais, ao propor a velhas nações, pelo exercício conjunto das suas próprias soberanias, a recuperação da influência que cada uma delas se revelava impotente para exercer sozinha. Esta proposta de Robert Schuman, conhecida como "Declaração Schuman", é considerada o começo da criação do que é hoje a União Europeia. Na Cimeira de Milão de 1985, os Chefes de Estado e de Governo decidiram celebrar o dia 9 de maio como "Dia da Europa".
 
 
Com a exposição realizada na Biblioteca, quisemos desenvolver:

- a aptidão para pensar, integrando num contexto espacial os vários elementos do lugar, região, mundo;

- a curiosidade por descobrir e conhecer;

- os processos de pesquisa, organização e comunicação da informação relativa a conteúdos geográficos;

- a predisposição para estar informados geográfica e culturalmente;

Foi uma forma agradável e interativa de proporcionar  um apoio às orientações curriculares.



Dia Mundial da Liberdade de Imprensa - 3 de maio

Todos os anos, o dia 3 de maio é a data que celebra os princípios fundamentais da liberdade de imprensa, avalia a liberdade de imprensa no mundo, defendendo-a dos ataques à sua independência e presta homenagem a jornalistas que perderam a vida no exercício das suas profissões.

O dia 3 de maio foi proclamado Dia Mundial da Liberdade de Imprensa na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1993, seguindo a recomendação adotada na 26ª Sessão da Conferência Geral da UNESCO, realizada em 1991.


O dia destaca uma realidade que existe ainda em muitos países: publicaçõessso direito a informação.
ANJ – Associação Nacional de Jornais
Fotografia  de Nawaat.org

Dia 25 de abril - Dia da Liberdade


E a flor sorriu abrindo o vermelho
nítido das pétalas, abrindo o verde
nítido das folhas - que as
flores também podem sorrir.

História de uma flor - Matilde Rosa Araújo

É difícil imaginar como era Portugal antes do 25 de Abril de 1974...

...na escola, as salas e recreios eram separados, para rapazes e raparigas.

...muitos livros e discos eram proibidos.

...nas Rádios, existiam listas de músicas que não podiam passar.

...nos filmes, cenas eram cortadas.
O dia 25 de Abril é oficialmente designado como Dia da Liberdade em Portugal.


Sabias que…

• em Portugal a escola só era obrigatória até à 4ª classe? Era complicado continuar a estudar depois disso. E sabias que os professores podiam dar castigos mais severos aos seus alunos?

• todos os homens eram obrigados a cumprir o serviço militar. A partir de 1961, o país vivia em condições dramáticas com o eclodir da Guerra Colonial.

• a censura escolhia o que as pessoas liam, viam e ouviam nos jornais, na rádio, na televisão e na rua.

• antes do 25 de abril, não havia liberdade de expressão e o descontentamento estava generalizado. Conhece melhor essa realidade através da nossa exposição.

Livros proibidos durante o Estado Novo
de 1926 a 1974

MONIZ, Egas, A Vida sexual: fisiologia e patologia
MALRAUX, André, A Condição humana
SARTRE, Jean-Paul, As Mãos sujas
AMADO, Jorge, Capitães da areia
BOCAGE, Manuel Maria Barbosa du, Cartas de Olinda a Alzira
ALEGRE, Manuel, O Canto e as armas
CORREIA, Natália, O Vinho e a lira
CESARINY, Mário, Um Auto para Jerusalém
MONTEIRO, Luís de Sttau, Duas peças (um ato): a guerra santa, a estátua
FERREIRA, Virgílio, O Caminho fica longe: romance
FONSECA, Lília da, O Relógio parado
TORGA, Miguel, Montanha (contos)
MARX, Karl, O 18 de brumário de Louis Bonaparte

Algumas fotografias da nossa exposição: