domingo, 15 de dezembro de 2013

Cabazes de gestos e de esperanças

Com o produto da Feira do Livro Social, com o apoio da comunidade de docentes e assistentes e com o contributo da Associação de Pais, vamos distribuir algumas dezenas de cabazes de Natal.

Esta ação é um pequeno gesto de solidariedade para com os que, quotidianamente, lutam de forma brava contra as adversidades continuadas ou circunstanciais da vida.

Para eles, os nossos votos para que melhores dias cheguem já no ano que vem. =



Um cabaz para encher e partilhar

Feira do Livro Social – edição de 2013

Decorreu nos dias 7 e 8 de dezembro, no mercado municipal, mais uma edição da Feira do Livro Social. O evento foi promovido pela Câmara Municipal e pela Rede de Bibliotecas de Vagos (que inclui todas as bibliotecas escolares do concelho e a biblioteca municipal).

A Câmara e outras instituições concelhias fizeram-se representar ao mais alto nível. Os agentes culturais, com particular destaque para os das áreas da etnografia, do teatro, da música e do canto acrescentaram brilho, sabor, qualidade, bom gosto e calor aqueles dias frios. Vários livros foram lançados na presença dos respetivos autores.

A solidariedade foi, como sempre tem sido, a palavra-chave do evento. Quem lá foi já sabia que tinha à sua espera livros e brinquedos que poderia trazer para casa a troco de uma embalagem de produtos alimentares não perecíveis (leite, arroz…). Estes bens destinam-se a compor algumas dezenas de cabazes de Natal que as Bibliotecas Escolares se encarregam de fazer chegar às famílias dos nossos alunos mais necessitados. =

Grande parte da equipa da RBV (da esquerda para a direita): o prof. Valdemar (EPADRV), a prof. Teresa (Rocha-Pai), a sr.ª vereadora da cultura - CMV, o prof. E. Griné (Secundária), a prof.ª  Sofia (Colégio) e a Dr.ª Lurdes (B. Municipal).

O diretor de visita à feira.


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O Principezinho completa 70 anos e vai ter um parque aéreo.

O principezinho, que já tem idade para ser rei, vai ter um parque temático aéreo já no no próximo verão. O parque ficará situado na região da Alsácia (nordeste de França). Sabe mais aqui  (português) ou  aqui (francês).


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Conhece Astérix e os seus amigos

Clica na imagem para saberes quem é quem nos livros do Astérix:


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

No próximo fim-de-semana - 7 e 8 de dezembro - venha ter connosco

O programa do evento pode ser consultado aqui.
Feira do Livro Social - Mercado Municipal de Vagos


Andamos à procura de "Voluntários da Leitura"...

Saiba o perfil que tem de ter para ser Voluntário da Leitura.
Clique na imagem para se inscrever:

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

26 de setembro - Dia Europeu das Línguas


Aprender e dominar outras línguas é uma mais-valia.
Consegues imaginar desvantagens?!


 
 
 

 
 
Fica a saber mais sobre este dia aqui:
 
 
 
O acesso ao site oficial do Dia Europeu das Línguas está aqui:
 
 
 

 

terça-feira, 18 de junho de 2013

BiblioFolha3




quinta-feira, 13 de junho de 2013

Dia Mundial do Ambiente - 5 de junho


«A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas.»
Johann Goethe
 
Os recursos naturais são finitos. Se não reciclarmos tudo o que utilizamos, se não pouparmos o uso dos mesmos, consumindo o estritamente necessário, haverá problemas de falta de produtos no mercado, aumento da poluição ambiental e aquecimento global. Os resultados serão catastróficos para todos os seres vivos.
Reciclar significa transformar objetos e materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade surge a partir do momento em que o ser humano tem consciência dos benefícios que este procedimento trás ao nosso planeta.
Ao reutilizarmos, para além de preservarmos o meio ambiente, contribuímos para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão a reciclar materiais como forma de reduzir os custos de produção.

Toma nota:

Reciclar é vital para a sobrevivência do planeta Terra.
Preservar é um dever de todos nós.
Preservar o que é nosso.

Preservar o planeta é preservar a vida.

Ama a vida, respeita o planeta, faz parte do meio ambiente.

Protege as nossas florestas e matas. Não deixes que poluam os nossos rios e lagos!
Fonte de vida, progresso e inovação.

A terra é o lar comum a todos. Cuidar e lutar por ela é tarefa de cada um de nós.
Reutiliza, recicla e reduz o lixo!

Pratica o verde.
Fazes parte do meio ambiente e ele faz parte de ti.

Cultivar um mundo sustentável para nós e as gerações futuras é o nosso compromisso.
Sustentar

Proteger
Suprir

Reduzir
Reciclar

Melhorar
Preservar

Muito além destas atitudes, o nosso compromisso é garantir o futuro.
Ambiente limpo não é o que mais se limpa, mas sim o que menos se suja.

Reciclar, reutilizar, reduzir, repensar e respeitar.


Deixamos aqui um poema de José Jorge Letria:

O Dia do Ambiente
( 5 de Junho)

Lembremo-nos de S. Francisco,
o que nasceu em Assis
e falava com as águas,
com as árvores e com os bichos,
sentindo-se assim feliz
por respeitar todas as coisas
que eram a sua raiz.
E o homem poluidor
do nosso tempo moderno,
destruindo o ambiente,
além de não ser eterno,
acaba sempre por fazer,
mesmo sem o querer,
da nossa vida um inferno.

 José Jorge Letria
(in O livro dos Dias)

As fotografias registam o que realizámos para relembrar este dia.





Dia da Europa - 9 de maio


O que se celebra no Dia da Europa?

Quando, em 9 de maio de 1950, propôs à República Federal da Alemanha e aos outros países europeus que quisessem associar-se à criação de uma comunidade de interesses pacíficos, Robert Schuman realizou um ato histórico. Ao estender a mão aos adversários da véspera, não só apagava os rancores da guerra e o peso do passado como desencadeava um processo totalmente novo na ordem das relações internacionais, ao propor a velhas nações, pelo exercício conjunto das suas próprias soberanias, a recuperação da influência que cada uma delas se revelava impotente para exercer sozinha. Esta proposta de Robert Schuman, conhecida como "Declaração Schuman", é considerada o começo da criação do que é hoje a União Europeia. Na Cimeira de Milão de 1985, os Chefes de Estado e de Governo decidiram celebrar o dia 9 de maio como "Dia da Europa".
 
 
Com a exposição realizada na Biblioteca, quisemos desenvolver:

- a aptidão para pensar, integrando num contexto espacial os vários elementos do lugar, região, mundo;

- a curiosidade por descobrir e conhecer;

- os processos de pesquisa, organização e comunicação da informação relativa a conteúdos geográficos;

- a predisposição para estar informados geográfica e culturalmente;

Foi uma forma agradável e interativa de proporcionar  um apoio às orientações curriculares.



Dia Mundial da Liberdade de Imprensa - 3 de maio

Todos os anos, o dia 3 de maio é a data que celebra os princípios fundamentais da liberdade de imprensa, avalia a liberdade de imprensa no mundo, defendendo-a dos ataques à sua independência e presta homenagem a jornalistas que perderam a vida no exercício das suas profissões.

O dia 3 de maio foi proclamado Dia Mundial da Liberdade de Imprensa na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1993, seguindo a recomendação adotada na 26ª Sessão da Conferência Geral da UNESCO, realizada em 1991.


O dia destaca uma realidade que existe ainda em muitos países: publicaçõessso direito a informação.
ANJ – Associação Nacional de Jornais
Fotografia  de Nawaat.org

Dia 25 de abril - Dia da Liberdade


E a flor sorriu abrindo o vermelho
nítido das pétalas, abrindo o verde
nítido das folhas - que as
flores também podem sorrir.

História de uma flor - Matilde Rosa Araújo

É difícil imaginar como era Portugal antes do 25 de Abril de 1974...

...na escola, as salas e recreios eram separados, para rapazes e raparigas.

...muitos livros e discos eram proibidos.

...nas Rádios, existiam listas de músicas que não podiam passar.

...nos filmes, cenas eram cortadas.
O dia 25 de Abril é oficialmente designado como Dia da Liberdade em Portugal.


Sabias que…

• em Portugal a escola só era obrigatória até à 4ª classe? Era complicado continuar a estudar depois disso. E sabias que os professores podiam dar castigos mais severos aos seus alunos?

• todos os homens eram obrigados a cumprir o serviço militar. A partir de 1961, o país vivia em condições dramáticas com o eclodir da Guerra Colonial.

• a censura escolhia o que as pessoas liam, viam e ouviam nos jornais, na rádio, na televisão e na rua.

• antes do 25 de abril, não havia liberdade de expressão e o descontentamento estava generalizado. Conhece melhor essa realidade através da nossa exposição.

Livros proibidos durante o Estado Novo
de 1926 a 1974

MONIZ, Egas, A Vida sexual: fisiologia e patologia
MALRAUX, André, A Condição humana
SARTRE, Jean-Paul, As Mãos sujas
AMADO, Jorge, Capitães da areia
BOCAGE, Manuel Maria Barbosa du, Cartas de Olinda a Alzira
ALEGRE, Manuel, O Canto e as armas
CORREIA, Natália, O Vinho e a lira
CESARINY, Mário, Um Auto para Jerusalém
MONTEIRO, Luís de Sttau, Duas peças (um ato): a guerra santa, a estátua
FERREIRA, Virgílio, O Caminho fica longe: romance
FONSECA, Lília da, O Relógio parado
TORGA, Miguel, Montanha (contos)
MARX, Karl, O 18 de brumário de Louis Bonaparte

Algumas fotografias da nossa exposição:





quarta-feira, 17 de abril de 2013

segunda-feira, 8 de abril de 2013

BiblioFolha2


«Retalhos da Vida de um pescador» - Sr. João da Murtosa



Na quinta-feira da Semana da Leitura, tivemos o prazer de receber na nossa escola o Sr. João da Murtosa. Muitos de nós tínhamos ouvido falar dele, mas não o conhecíamos. Então, lançámos-lhe o desafio de vir conversar connosco sobre «Retalhos da vida de um pescador» e o Sr. João aceitou com muito agrado. De entre os alunos que conversaram com ele, estavam duas netas e um bisneto, que se mostraram orgulhosos pela vinda do avô e recitaram excertos de poesia com a temática do mar, como o «Mar Português» da Mensagem de Fernando Pessoa:

«Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.»

Divulgamos aqui alguns fragmentos da conversa.
Sr. João da Murtosa, de seu verdadeiro nome João Carlos da Silva, veio da Murtosa até à Praia da Vagueira, de bicicleta, aos 18 anos de idade. Gostou do local e aí ficou até aos dias de hoje.
À pergunta «qual foi o seu maior medo em alto mar», o Sr. João respondeu que «ainda agora tem medo» e não é só do mar, é também da vida. Segundo ele, todos os dias enfrentamos obstáculos. «Temos de enfrentar a vida, ter coragem para enfrentar qualquer obstáculo que nos apareça.»
Começou a faina da pesca com 25 anos. No entanto, até aí, trabalhou no moliço, nos saleiros e nas bateiras. Por duas vezes, o barco onde seguia com outros pescadores afundou. Mas a luta pela sobrevivência foi grande e conseguiram salvar-se, com a ajuda de outros barcos que por aí passavam. Quando um pescador é obrigado a enfrentar um obstáculo, neste caso um naufrágio, ele enfrenta-o sem medo. O Sr. João tem medo de enfrentar a vida, mas numa «aflição», ganha coragem para se salvar.


Porque não queria que «os filhos passassem fome», o Sr. decidiu trabalhar por conta própria e deitou muitas vezes lágrimas de sofrimento. Primeiro, pescou na ria e depois passou a pescar no mar. Na altura, o material de que dispunha não era o melhor – a bateira era pequena e os pescadores puxavam a rede com uma corda amarrada à cintura. Mais tarde, foram introduzidos os bois que ajudavam os pescadores a puxar a rede com o peixe até à praia. Mas, apesar da técnica ter melhorado, o barco afundou várias vezes e os pescadores viram a morte à frente. Nunca desistiram, a coragem falou sempre mais alto, conseguindo ultrapassar o medo.

Dirigindo-se aos alunos, o Sr. João terminou, aconselhando-os «a não terem medo, mas sim a enfrentarem a vida».

Obrigada, Sr. João da Murtosa, pela lição de vida que nos deu.


 

Semana da Leitura


Nesta 7ª edição da Semana da Leitura, centrada na temática do MAR, o Plano Nacional de Leitura, lançou-nos o desafio de promover a leitura articulando-a com as várias áreas disciplinares.

Entre 8 e 15 de março, a biblioteca da escola sede solicitou a colaboração de vários professores dos diversos graus de ensino para mostrar a relevância histórica e cultural do mar na construção da identidade do povo português, ajudando a (re)descobrir a pluralidade de dimensões do mundo.

Para concretizar esta iniciativa, recorremos às atividades que permitiram valorizar a nossa identidade e promover a preservação da nossa memória. O mar esteve sempre presente na diáspora do povo português.

Tendo presente esta realidade, desencadeámos um processo de aglutinação das várias áreas do saber, recorrendo a convidados, partilhando experiências e integrando aportes de diferentes realidades.

Tendo presente este princípio, foram realizadas as atividades:

8 de março:
- Variações sobre oito poemas da «Mensagem» de Fernando Pessoa – 8ºD ao som do rap;
- Serão Poético – Fernando Pessoa – 12º ano

12 de março:
«Canção do Mar», por Cristiana Conde (9ºD) e coreografia por Ana Vítor Gonçalves (7ºF)

13 de março:
«O Homem do Leme» e música da «Pequena Sereia», ao saxofone, por Leonardo Moço (11ºB)

14 de março:
«Retalhos da vida de um pescador» - Sr. João da Murtosa

Ao longo da semana:
- Exposição de peixes
- Exposição sobre Luís Vaz de Camões
- Exposição sobre os grandes navegadores portugueses
- Distribuição de marcadores contemplando extratos de obras literárias portuguesas alusivas ao mar e biografias de autores espanhóis.

No âmbito da Semana da Leitura, foi promovido o Concurso «Eu Escrevo» que resultou num trabalho coletivo do Jardim de Infância do Areão. Este trabalho consistiu na recolha de provérbios e lengalengas relacionados com o mar, recontados através de desenhos, colagens, pinturas e outros materiais. Este trabalho candidatou-se ao concurso, que tem uma abrangência nacional, representando assim o nosso agrupamento de forma muito criativa.

Professoras Teresa Rodrigues e Fátima Carreira



Trabalho do Jardim de Infância do Areão  






Serão Poético - 12º ano

Semana da Leitura - 2013

Cartaz da Semana da Leitura


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Concurso (PNL) - Eu escrevo


No âmbito da Semana da Leitura, está a decorrer o Concurso «Eu Escrevo», centrado, tal como esta edição da Semana da Leitura, na relação LEITURA – MAR.


O Concurso tem uma abrangência nacional e tem como público-alvo as crianças e jovens da educação pré-escolar ao 12º ano de escolaridade.

Os trabalhos serão enviados para o PNL (Plano Nacional de Leitura) em março de 2013.

O regulamento pode ser consultado na biblioteca da escola sede ou através do site do PNL:

http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt

Exposição 360º - Fundação Calouste Gulbenkian


360º - Ciência Descoberta

A Fundação Calouste Gulbenkian terá patente ao público, de 2 de Março a 2 de Junho de 2013, a exposição 360o Ciência Descoberta.
A exposição terá como tema a ciência ibérica na época dos descobrimentos, apresentando os desenvolvimentos científicos e técnicos associados às grandes viagens oceânicas de Portugueses e Espanhóis nos séculos XV e XVI, e o impacto que causaram na ciência europeia.
Esta exposição estará organizada em torno de quatro zonas temáticas:
1.     A imagem do mundo antes das viagens marítimas;
2.     O contacto com as novidades da geografia, da botânica, da zoologia e da medicina;
3.     A criação de novas disciplinas de base matemática e os desenvolvimentos tecnológicos;
4.     O impacto da nova imagem do mundo no surgimento da ciência moderna.
Os interessados em participar no ciclo de conferências ou realizar uma visita temática à exposição, podem fazê-lo através de:

Semana da Internet Segura - de 4 a 8 de fevereiro

Com o objetivo de comemorar o Dia Europeu da Internet Segura, a biblioteca escolar dinamizou uma exposição sobre o tema com os alertas da Seguranet. Se queres saber mais, pesquisa no site, através do link:
http://www.seguranet.pt/blog/


A mostra incluiu sites de interesse, folhetos informativos e recomendações para navegar em segurança.

Foram ainda distribuídos marcadores de livros com a temática da segurança na net. Deixamos-te aqui alguns:


La Fête du Français - La Chandeleur

No passado dia 31 de janeiro, no âmbito da disciplina de Francês, comemorou-se la Chandeleur na biblioteca da escola para assinalar esta tradição francesa. La Chandeleur é comemorada em França todos os anos, no dia 2 de fevereiro, dia em que os franceses fazem as famosas crêpes em família ou entre amigos.


A atividade de cariz cultural pretendeu dar a conhecer a França, as suas tradições, a cultura e a língua. O dia de La Chandeleur acontece passados 40 dias depois do Natal. O nome La Chandeleur é derivado do latim (candelária – candeia) e a sua origem remonta à Antiguidade Romana em que se fazia uma festa em honra do deus Pan, deus dos bosques, dos campos, dos rebanhos e dos pastores. Durante essa festa, à noite, os fiéis andavam nas ruas com tochas. A partir do século XIV, passa a ser associada a Nossa Senhora das Candeias.

Hoje em dia a tradição é fazerem-se crêpes que, pela sua forma redonda e pela sua cor dourada, fazem lembrar o sol e são como que um apelo ao regresso da primavera, após o inverno.

Há todo um ritual associado à confeção das crêpes: fazer saltar as crêpes, com a mão direita, e ter, na mão esquerda, uma moeda, para trazer prosperidade e abundância durante todo o ano. Havia também a superstição de que a primeira crêpe confecionada não devia ser comida, mas antes guardada para dar sorte e para que as colheitas fossem abundantes.

No dia em que esta tradição foi comemorada na escola, os alunos mostraram-se muito recetivos e satisfeitos, ao saborearem a deliciosa crêpe. Havia recheio para todos os gostos, ora com açúcar, ora com canela, com doce, mas as crêpes mais concorridas eram mesmo as que tinham o recheio de chocolate.

Nas aulas de Francês, os alunos pesquisaram alguma informação e realizaram trabalhos de acordo com o seu nível de ensino, que fizeram parte de uma exposição na biblioteca.

Houve pedidos da receita para repetirem, fazendo em casa para os seus familiares.

Foi uma festa muito concorrida, já que o cheirinho a crêpes chegava a todos os setores da escola sede e da escola Dr. João Rocha (Pai). De salientar a contribuição da nossa assistente operacional, Jennifer Oliveira, que cantou e encantou todos, ao presentear-nos com duas canções de Edith Piaf – «Rien de rien» e «La vie en rose».


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Concurso “Saramago – Uma história de 90 anos”

O Concurso ‘Saramago – Uma História de 90 Anos’ é uma iniciativa da Editora Caminho-Leya, em parceria com o Plano Nacional de Leitura (PNL), a Rede de Bibliotecas Escolares e a Fundação José Saramago, que pretende assinalar os 90 anos do nascimento do escritor José Saramago.

Trata-se de uma proposta pensada como instrumento para todos aqueles que se considerem autores ou com apetência para a escrita e que queiram dar expressão pública aos seus atos criativos, produzindo trabalhos inspirados na vida e obra de José Saramago.

Aos concorrentes é proposto, em simultâneo, que façam uso de algumas das ferramentas da área das tecnologias, de forma a enriquecer os conteúdos produzidos, enquadrando-os em suporte digital.

O concurso é dirigido aos alunos do ensino secundário e aos docentes dos vários níveis de educação/ensino que concorrerão em duas categorias distintas, mas nas mesmas modalidades e formatos, conforme descrição subsequente.

Calendário

Início: 16 de Novembro de 2012 - data de aniversário de José Saramago
Final: 11 de Março de 2013

Para aceder ao regulamento:
http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/Concursos/upload/ficheiros/regulamento_saramago.pdf


Semana da Leitura


O mar é o tema da Semana da Leitura 2013 promovida pelo Plano Nacional de leitura
A Semana da Leitura é uma iniciativa lançada todos os anos pelo PNL e que desafia as escolas a estimularem o prazer de ler, organizando atividades de leitura e de escrita.

Nesta 7ª edição da Semana da Leitura, centrada na temática do MAR, o Plano Nacional de Leitura, em parceria com a Estrutura de Missão para Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) e com o apoio do Banco Popular, lança a todas as escolas o desafio de tornarem a leitura e os livros presentes em toda a parte.

Entre 11 e 15 de março de 2013, esta iniciativa convoca a leitura para mostrar a relevância histórica e cultural do mar na construção da identidade do povo português, ajudando a (re)descobrir a pluralidade de dimensões do mundo.