terça-feira, 3 de março de 2009

SEMANA DA LEITURA - 2009

2 a 6 de Março de 2009







________________________
6 de Março de 2009


SER MULHER

Poema declamado pela nossa colaboradora D. Licínia Grave, por si dedicado a todas as Mulheres, em especial à Prof.ª Fátima Odete, Coordenadora da nossa BE/CRE.






Ser mulher…
É viver mil vezes em apenas uma vida.
É lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora.
É estar antes do ontem e depois do amanhã.
É desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus actos.
É caminhar na dúvida cheia de certezas.
É chorar de alegrias e muitas vezes sorrir com tristeza
É acreditar quando ninguém mais acredita.
É cancelar sonhos em prol de terceiros.
É esperar quando ninguém mais espera.

Ser Mulher…
É estar em mil lugares de uma só vez.
É fazer mil papéis ao mesmo tempo…
É distribuir emoções que nem sempre são captadas.
É comprar, emprestar, alugar, vender, sentimentos, mas jamais dever.
É saber dar o perdão… é tentar recuperar o irrecuperável.
É entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.
É estender a mão a quem ainda não pediu.
É doar o que ainda não foi solicitado.
É não ter vergonha de chorar por amor.
È esperar sempre por um recomeço.
É ter a arrogância de viver apesar dos dissabores,
Das desilusões, das traições e das decepções.
É ser mãe dos seus filhos… dos filhos de outros
E amá-los igualmente.

Ser Mulher…
É ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem.
É desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos.
E fincar a bandeira da conquista
É hospedar dentro de si o sentimento do perdão.
É voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes.
É cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar
As suas próprias feridas sangrando.

Ser Mulher…
É ser princesa aos vinte… Rainha aos trinta…
Imperatriz aos quarenta e… especial a vida toda.
É chorar calada as dores do mundo e,
Em apenas um segundo, já estar sorrindo.
É subir degraus e, se os tiver que descer, não precisar de ajuda.
É tropeçar, cair e voltar a andar.

Ser Mulher…
É, acima de tudo, um estado de espírito.
É uma dádiva… É ter dentro de si um tesouro escondido
E, ainda assim, dividi-lo com o mundo!


***********************************************



A aluna Diana Kolesnyk, do 8ºA, leu o poema «Poesia Matemática» .

Poesia Matemática

Um Quociente apaixonou-se
Um dia
Doidamente
Por uma Incógnita.
Olhou-a com seu olhar inumerável
E viu-a, do Ápice à Base...


Uma Figura Ímpar;
Olhos rombóides, boca trapezóide,
Corpo ortogonal, seios esferóides.

Fez da sua
Uma vida
Paralela a dela.

Até que se encontraram
No Infinito.
"Quem és tu?" indagou ele
Com ânsia radical.

"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode me chamar de Hipotenusa."

E de falarem descobriram que eram
- O que, em aritmética, corresponde
A alma irmãs –
Primos-entre-si.

E assim se amaram
Ao quadrado da velocidade da luz.
Numa sexta potenciação
Traçando
Ao sabor do momento
E da paixão
Retas, curvas, círculos e linhas sinusoidais.


Escandalizaram os ortodoxos das fórmulas euclideanas
E os exegetas do Universo Finito.
Romperam convenções newtonianas e pitagóricas.
E, enfim, resolveram se casar
Constituir um lar.
Mais que um lar.
Uma Perpendicular.

Convidaram para padrinhos
O Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e diagramas para o futuro
Sonhando com uma felicidade
Integral
E diferencial.

E se casaram e tiveram uma secante e três cones
Muito engraçadinhos.
E foram felizes
Até aquele dia
Em que tudo, afinal,
Vira monotonia.

Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum...
Freqüentador de Círculos Concêntricos.
Viciosos.
Ofereceu-lhe, a ela,
Uma Grandeza Absoluta,
E reduziu-a a um Denominador Comum.

Ele, Quociente, percebeu
Que com ela não formava mais
Um Todo.
Uma Unidade.

Era o Triângulo,
Tanto chamado amoroso.
Desse problema ela era a fração
Mais ordinária.

Mas foi então que Einstein descobriu a
Relatividade.
E tudo que era expúrio passou a ser
Moralidade
Como aliás, em qualquer
Sociedade.

Millôr Fernandes

..........................................................................................................

Inspirados em «Descalça Vai para a Fonte», de Luís de Camões, os alunos do 10ºC escreveram alguns poemas.

As declamações foram acompanhadas à guitarra por Ivo, Luís e Kevin da mesma turma.

Eis os poemas :


Descalço Vai Para a Fonte

Descalço vai para a fonte,
O Leonardo pelo arame farpado.
Vai furioso e todo espetado.


Montes e vales
vai passando,
muros e telhados
vai saltando,
para chegar ao lugar.
O lugar mais esperado.
Vai furioso e todo espetado.

Leva na mão uma tortilha,
feita pela sua filha,
na outra, uma garrafa de vinho
roubada na cave do vizinho.
Finalmente vê a fonte,
o lugar tanto sonhado.
Vai furioso e todo espetado.

Luís, Ruben, Ivo


Correndo Vai a Gorete

Correndo vai Gorete
Pela estrada de trotinete
aflita para ir a toillete!

O vento bate-lhe na franja
e voa a saia cor-de-laranja.
Olha para os lados
com os cabelos despenteados,
chegada ao destino
Encontra o Professor Justino.
Acordou do pesadelo
e caiu-lhe o cabelo.
Acorreu ao cabeleireiro
Para comprar uma peruca,

Passou pelo peixeiro
Que lhe pôs escamas na nuca.
Infeliz deitou-se na cama
E foi até de madrugada.
Ao acordar disse à Ama
"Mas que vida desgraçada".

Agitada vai Gorete
pela estrada de trotinete
Preocupada com a toillete
Que esvoaça com a Tempête".

Daniela Machado, Joana Raimundo, Sónia Claro


A felicidade de Leanor

Contente e feliz vai para a fonte,
Leanor pela verdura.
Vai fermosa e não segura.

Vai cantando e sorrindo,
Mostrando o bom da vida.
Vai chamando a atenção,
Com a sua aparição.
Exalando felicidade,
Partindo corações
Com a sua simplicidade,
Vai fermosa e não segura.

Mas Leanor não faz por mal,
Apenas mostra felicidade,
Mostra o quanto vale a pena lutar.
Luta pelo amor,
Pela alegria,
Pela tranquilidade.
Lutar por aquilo que acredita
Lutar por aquilo que sonha!
Vai fermosa e não segura.


*************************************************************

Gostas de Ler?


Estes são os testemunhos de alguns dos nossos alunos:


*Gosto de ler porque, durante alguns momentos, me afasto um bocadinho da vida real e me esqueço de tudo. Entro num mundo de fantasia onde tudo é imaginário.
O livro que mais gostei de ler até hoje… foram dois: “Encruzilhada no Tempo” e “O Livro Misterioso”, de Margarida Fonseca Santos.
Gosto de livros misteriosos porque posso usar a imaginação e tentar adivinhar o que vem a seguir.
Não gosto de livros que falem de guerra, de mortes.
O primeiro livro de que gostei muito foi a “Menina do Mar”, de Sophia de Mello Breyner Andresen.
Sónia Costa (13 anos)


*Gosto de ler porque, enquanto estou a ler, parece que estou na história, a viver o que lá se passa. O livro de que mais gostei até hoje foi um livro da colecção “Buffy, a Caçadora de Vampiros”, mas não me recordo do nome completo.
Não gosto de livros que tenham pouca acção.
O primeiro livro de que gostei muito falava de piratas e de descobertas.
Tiago Cipriano (13 anos)


*Eu gosto muito de ler. Durante a leitura somos todos os heróis dos livros, aprendemos sobre todos eles... O mais interessante é que estamos com eles, conhecemos todos os seus problemas e sorrimos com as suas piadas.
Há muitos livros diferentes: de comédia, educativos, dramáticos e assim por diante… É impossível enumerá-los a todos. Eu aconselho-vos a ler tudo. A leitura torna-nos mais espertos, enquanto andamos à nossa própria procura no rosto dos heróis dos livros. Eu sou uma dessas pessoas… Eu amo a diversidade.
Tenho lido muitos livros. Basicamente gosto de aventuras emocionantes. Apenas li livros em língua russa, por isso provavelmente não conhecem este. O seu título é “País dos Espelhos”. É uma história interessante sobre uma garota que era má, desobediente e assim por diante. Ficou num planeta onde teve de conviver com a sua própria cópia. A garota não a suportava, pois ela era muito rude e tinha muita maldade (Claro! Era uma cópia dela!) Depois de muitas aventuras, a rapariga foi melhorando. Tornou-se uma menina mais sábia.
Diana Kolesnyk (14 anos)



*Um livro faz-me viajar pelo Mundo sem sequer sair de casa. Faz-me criar mais vocabulário. Aprendo coisas que nunca imaginei existirem.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi “O Crepúsculo”, de Stephenie Meyer. Adorei o assunto, a acção. E atraiu-me muito pela forma como está escrito. Foi o primeiro livro de que gostei de verdade.
Não gosto de livros que não tenham muita acção.
Salomé Costa (13 anos)



*Quanto mais leio, melhor leio. Até hoje, o livro que mais gostei de ler foi o "Ulisses", de Maria Alberta Menéres, porque era um livro de muita acção.
Não gosto de histórias de amor, prefiro acção.
O primeiro livro que gostei de ler era de Banda Desenhada, da série X-Men.
Micael Seixeiro (13 anos)


*Gosto de ler porque me ajuda a passar bem o tempo.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi o "Ulisses", de Maria Alberta Menéres. Não gosto de romances de amor. Prefiro acção.
Luís Ferreira (13 anos)


*Prefiro livros de acção. Quando leio, sinto-me no mundo das histórias. Além de que me ajuda a ler cada vez melhor.
O livro que mais gostei de ler até hoje é da colecção «Crónicas de Nárnia». Gostei porque fala de mistérios e de magia.
O primeiro livro de que gostei muito falava de monstros que atacavam os humanos.
Kevin Almeida (15 anos)



*Gosto de ler porque gosto de me imaginar em novas situações.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi «O Cavaleiro da Dinamarca», de Sophia de Mello Breyner Andresen. É um livro com bastante acção.
Não gosto de livros que tenham pouca acção, nem que tenham poucas páginas.
A primeira história de que gostei muito foi a história do «Pirata das Caraíbas».
Miguel Peralta (15 anos)


*Durante a leitura, imagino que sou eu que estou a viver a história.
O livro de que mais gostei até hoje foi As Aventuras de Robinson Crusoe, de Daniel Defoe. É uma história de aventura que conta como, depois de um naufrágio, Robinson vive sozinho numa ilha deserta.
Não gosto de livros sentimentais, nem dos que têm muitas páginas. Prefiro acção. O primeiro livro de que gostei foi O Pirata das Caraíbas.
Tiago Oliveira (14 anos)

*Gosto de ler. É umas das melhores coisas que se podem fazer. Apenas é preciso tempo.
O primeiro livro de que gostei muito falava do Oriente e do Egipto. Não me lembro do título. O livro que mais gostei de ler até hoje é "A Guerra das Estrelas – O Último Jeti".
Gosto de livros que falem dos temas que me interessam. Dos outros, não gosto. Acho-os maçadores.
Isaac dos Anjos (14 anos)


*Gosto de ler porque gosto de ter a cabeça ocupada a pensar em alguma coisa e também porque me faz sentir bem e me distrai. Não gosto de livros que falem de sangue.
O primeiro livro de que gostei muito falava de uma festa de anos: "Anita e a Festa de Anos". O livro que mais gostei de ler até hoje foi “Temos Mesmo de Esperar Até Segunda-feira?”, de Margarida Fonseca Santos. Fala de uma rapariga e de um rapaz. Quando a rapariga revelava as fotografias que tirava, aparecia sempre a figura de um certo rapaz. Mas, quando as tirara, não estava lá nenhum rapaz.
Patrícia Santos (14 anos)



*Gosto de ler porque gosto de saber uma história e, depois, ser eu mesmo a inventar cenários e personagens. Ler acalma-me. Quando começo A ler um livro, leio-o até ao fim, com curiosidade em saber o final.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi o “Ulisses”. Tem muita acção e eu gosto de livros de aventura.
Não gosto de livros de terror, porque não gosto muito de sangue nem de mortes dolorosas.
O primeiro livro que li e de que gostei falava de Jesus. Camava-se “A Bíblia dos Pequeninos”.
José Morgado (13 anos)




*Gosto de ler quando vou para a cama, antes de dormir, ou quando tenho tempo livre, porque é uma coisa que m dá gozo fazer.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi “O Livro Misterioso”, da autora Margarida Fonseca Santos. Falava de coisas emocionantes e invulgares.
Não gosto de livros que acabem mal, nem de histórias de terror.
Lembro-me que o primeiro livro de que gostei se chamava “O ABC”. Também falava de coisas fora do vulgar: uma fuga de letras!
Daniela Almeida (13 anos)


*Gosto de ler quando estou sozinha, ou triste. Põe-me mais bem disposta.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi o "Poeta (às vezes)", de Maria Teresa Maia Gonzalez. Não fala só de poesia, fala do nosso dia-a-dia. O narrador é um rapaz que diz o que se passa na sua vida.
Não gosto de livros que não tenham animação.
O primeiro texto de que gostei muito foi “O Vampiro Que Bebia Groselha”, de Luísa Ducla Soares.
Filipa Rocha (13 anos)


Gosto de ler quando tenho tempo livre. Costumo ler à noite.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi “Temos Mesmo de Esperar até Segunda-Feira”, de Margarida Fonseca Santos. Gostei porque tem muito mistério e também é uma história romântica.
Não gosto de livros que tenham palavras muito difíceis de ler e, por isso, se tornam aborrecidos.
O primeiro texto de que gostei muito foi “A Nuvem”. Conta a história de uma menina que gostava de ser nuvem. Lembro-me que a menina perguntava à nuvem de que é que valia ser nuvem se não a podia levar? Servia apenas para a ver passar, passar...
Andreia Julião (16 anos)



*Gosto de ler quando tenho algum tempo livre.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi o Robinson Crusoe, de Daniel Defoe. Gostei porque era uma história de sobrevivência.
Não gosto de livros sentimentais.
O primeiro texto de que gostei muito falava sobre a Segunda Grande Guerra Mundial. Era uma enciclopédia sobre a história do mundo.
José Gama (14 anos)



*Gosto de ler quando tenho tempo livre, principalmente à noite.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi «O Cavaleiro da Dinamarca», de Sophia de Mello Breyner Andresen. Achei interessante conhecer a história do cavaleiro e a grande coragem que ele demonstrava.
Gosto muito de livros de acção.
O primeiro livro de que gostei muito falava de aventura e coragem: chama-se “Ulisses”, da autora Maria Alberta Menéres.
Hugo Ferreira (13 anos)



*Gosto de ler quando, estou sozinha, quando está silêncio ou quando estou num sítio aborrecido, sem nada para fazer.
O livro de que mais gostei até hoje foi “Temos Mesmo Que Esperar Até Segunda-Feira?”, de Margarida Fonseca Santos. Esta história tinha momentos muito divertidos e também muito suspense. Além disso, também parecia que entrávamos na história por completo.
Não gosto de livros que tenham vocabulário muito difícil de interpretar, pois esses tornam-se muito aborrecidos.
O primeiro livro de que gostei muito falava de uma menina que foi visitar a avó, mas que foi surpreendida por um lobo… é um conto e chama-se “O Capuchinho Vermelho”.
Carla Cancujo (14 anos)



*Ler dá-me gozo. Prefiro ler no meu quarto, quando tenho algum tempo livre.
O livro de que mais gostei até hoje foi “O Livro Misterioso”, de Margarida Fonseca Santos, pois é um livro cheio de mistério e fantasia. Não gosto de livros que falem de mortes.
A primeira história que me agradou falava da fuga de um alfabeto! As letras estavam fartas de escrever em cartazes, cadernos…
Joana Sesta (13 anos)




*Gosto de ler num local calmo e silencioso, quando estou sozinha.
O livro que mais gostei de ler até hoje foi “Temos Mesmo que Esperar até Segunda-feira?” de Margarida Fonseca Santos. É uma história romântica. Gostei muito da maneira como a autora a conta.
Não gosto de biografias.
O primeiro livro de que gostei muito falava de um porquinho que queria ser pastor, queria cuidar das ovelhas como os cães pastores. É “O Porquinho Babe”.
Cátia Rocha (15 anos)



*Gosto de ler com os meus amigos, quando há silencio, ou quando estou sozinho.
O livro de que mais gostei até hoje foi o “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”, pois gosto de livros com acção e aventura, mas com pouco terror.
Não gosto de histórias românticas.
O primeiro livro de que gostei muito foi “Uma Aventura Na Televisão”, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, foi o primeiro livro gostei muito de ler.
André Ferreira (14 anos)



*Gosto de ler só quando tenho mesmo vontade, quando me apetece.
“O Guarda da Praia”, de Maria Teresa Gonzalez é o livro que ando a ler e é, também, o primeiro livro que me está a dar realmente gosto. Fala de um rapaz, uma rapariga e uma concha. A história passa-se numa ilha e o rapaz tem que partir para as Américas.
A maneira como a história é contada, a forma como está escrita, é o que me está a atrair nele.
Ana Silva (14 anos)



*Quando não tenho nada que fazer ou estou sozinha, gosto de ler.
Actualmente ando a ler “O Crepúsculo” de Stephenie Meyer. O título chamou a minha atenção e achei que era uma história diferente, fora do comum.
A primeira história de que gostei chamava-se “A Criança”.
Gabriela Neves (14 anos)

1 comentário:

TSec disse...

Gostei muito da forma como expressaram a vossa necessidade de ler. Contagia!... Desejo-vos muitas e boas leituras!